Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Sobre trilhas sonoras

Se tem uma coisa marcante pra mim em qualquer filme, além da fotografia e dos diálogos, é a trilha sonora.
Uma boa trilha, transforma momentos que poderiam ser apenas mais um beijo romântico entre o casalsinho central ou uma paisagem passando pela janela, em momentos de pura emoção para o público. Na minha opinião, a trilha sonora é a marca registrada de qualquer produção, seja ela composta de hits FM ou daquela banda alternativa que você joga no google após o filme para descobrir quem é.
Eu gosto de adivinhar qual o estilo de trilha sonora de cada filme antes de assistir, porque, nem sempre a música que toca no trailer vai fazer parte de alguma cena do filme e é por isso que, dependendo da produção, minha surpresa é cada vez maior ao ouvir a trilha sonora. Foi o caso de Juno (que eu jurava que só ia tocar bandinhas 'indies' dos anos 70/80 como The Cure).
Melhor ainda, é comprar o disco da trilha sonora ou baixar (já que os preços dos cd's estão pela hora da morte).
Há de se concordar que, muitas vezes, marcamos um filme pela sua trilha sonora, tamanha sua importância (Indiana Jones, Uma linda mulher, The Goonies, Ghost (eca), Dirty Dance). Há de se concordar também, que as melhores cenas são aquelas que contém aquela música arrebatadora que te arrepia e faz você falar baixinho: 'Puta merda, quê isso?', mesmo que não seja 'A MÚSICA', mas, está na cena certa e no filme certo.
Então, à partir de agora, de tempos em tempos vou postar alguma cena que junto com sua trilha sonora, arrebatou esse meu coraçãozinho incauto. E a primeira é:
.
Música: Every breath you take - The Police
Na única cena bacana desse filme mediano, jukebox do bar, Keanu Reeves gordo, porém altamente comestível, uma música atemporal e a prova de que, nem sempre, o filme precisa ser espetacular para ter uma trilha bacana (é uma pena, porque, na maioria das vezes é um desperdício de trilha, mas, enfim...). Reparem que não tem nada demais na cena, o negócio aqui é a música que caiu como uma luva.
.

9 comentários:

Garota no hall disse...

Hum, curiosa para ver o que vai rolar por aqui. Dica de site sobre trilhas sonoras: www.stlyrics.com

Cuidado: vicia.

cinefilapornatureza disse...

Fabiana, também adoro trilhas sonoras de filmes. Não assisti ainda "Virando o Jogo", mas adoro a música do The Police que ilustra a cena que você postou.

Johnny Strangelove disse...

Quem não gosta de trilhas ... atire a primeira pedra ...



(após uma longa pausa dramatica)



Ninguem ... mas agradecemos quando existe uma relação justa entre a tela e a musica ...
abraços

Rafael Moreira disse...

Eu amo trilha sonoras. Cinco fatores são marcantes. Fotografia; edição; roteiro; direção; e trilha sonora.

Acho que por isso eu amo musicais. E Fabiana, sou das pessoas que baixam os CD's. ;D

Eu não conheço esse filme. Nunca tinha ouvido falar, juro. A música, entretanto, eu conheço bem. :)

Abraço!

cinevita disse...

Ola Fabiana! Adorei seu blog! Já estou linkando.

Conheço este filme, mas nunca o vi.
E eu vou além, a primeira coisa que percebo em um filme é o uso de música. Se cinema é minha mulher, a música é minha amante. O que dizer, então, quando se pode estar com as duas ao mesmo tempo?? Paraiso total!

A música de The Police é maravilhosa, e fazia um tempo que não a escutava. Valeu pela nostalgia!

Ciao!

Cecilia disse...

keanu reeves é sempre comestível, impressionante.

e adorei esse filme, apesar da diane lane.

contra-regra disse...

Sempre que eu penso em trilhas sonoras eu penso em dois nomes. Um clássico e outro recente: Ennio Morricone (gênio da música, fez trilhas fantásticas!) e Quentin Tarantino (poucos trabalhama música de forma tão genial quanto ele... pare pra ouvir suas escolhas musicais e Jackie Brown e Kill Bill por alguns segundos e vc entenderá o que eu estou dizendo).

Cinema sem música é como monólogo no teatro (só pouquíssimos curtem e ainda assim, depende do ator que interpreta).

Mídia? Cultura? Acesse:
http://robertoqueiroz.wordpress.com

fabiana disse...

Assistam ao filme e tirem suas conclusões. Eu não achei uma obra prima do cinema, mas também não é de todo ruim, é mediano.

Cinevita, bem vinda!

Roberto, Morricone é gênio, e o Tarantino tem um jeito próprio de somar cinema e música, também adoro!

Thais disse...

Estou trabalhando num projeto de TCC para rádio, que envolve cinema e trilhas sonoras.
Gostei de seus textos, e gostaria de saber em que cidade você está, pois, em meu projeto há a participação de um crítico/fã de cinema.
Entre em contato, que te passo mais detalhes sobre o projeto, OK
Thais
(thaishsol@gmail.com)