Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

O Incrível Hulk



Quando eu era pequena, ficava angustiada com a série televisiva do cientista que se transformava no 'homão' verde assustador. Eu tinha medo do incrível Hulk, sério. É por isso que a imagem assustadora do personagem nunca saiu da minha cabeça, e por incrível que pareça, a narrativa da série também, seja na tv ou nos quadrinhos.
No filme de Ang Lee de 2003, me assustou ainda mais o fato do 'homão' verde mais parecer uma bola inflável verde gigante que aquele personagem assustador do passado, é por isso que sempre achei o filme um lixo.
No final do ano passado, ao saber da nova empreitada de Edward Norton, torci o nariz, mas, me veio que um ator como Edward Norton não faria qualquer porcaria por alguns zeros a mais na sua conta bancária, e foi aí que comecei a levar o novo 'O Incrível Hulk' (The Incredible Hulk, 2008) mais a sério.
O filme começa com um resumo rápido sobre como o cientista Bruce Banner (Ed Norton) se transformou no gigante verde e quem são os personagens centrais da história, a saber: a mocinha Betty Ross (Liv Tyler) e seu pai (William Hurt). Isso, já deixa o público bem confortável, afinal, quem nunca leu os quadrinhos ou assistiu a série de tv não vai se sentir um peixe fora d'água.
Em seguida, a ação se transporta para a favela da rocinha, onde Bruce se passa por um funcionário anônimo de uma fábrica de refrigerantes e tenta encontrar a cura para a sua 'mutação' digamos assim.
Edward Norton dá credibilidade ao seu Bruce Banner, afinal, não é todo dia que um ator como ele investe pesado em uma produção que poderia ser um fracasso. Aliás, é justamente isso que fez a diferença nessa nova produção, Edward Norton é um fã da série, e fã que é fã não quer ver seu herói esteriotipado nem ridicularizado na frente das câmeras.
A química entre Bruce e a Dra. Ross de Liv Tyler funciona. É impossível não torcer pelo casal ao longo do filme.
Outra coisa bacana no fime é a trilha sonora original da série inserida nas cenas, acredito que muitos fãs se derreteram na poltrona do cinema ao ouví-la. Mais um ponto para Edward Norton.
Apesar de ter vagas lembranças dos confrontos do 'homão' verde, achei meio forçassão de barra a luta interminável entre Hulk e seu oponente gigante. Mas, filme de super herói é isso aí, e eu nem posso falar muita coisa, afinal, Hulk não é bem meu super herói preferido, pelo contrário, eu tinha medo dele, lembram?
Em suma, não é um dos melhores filmes de super herói de todos os tempos, mas, certamente é muito superior ao filme de 2003 e inicia uma nova franquia do herói, honesto com o público, sem apelar para o 'roteiro adaptado' de tantos Batmans atrás. É aos fãs de quadrinhos, o grande público da Marvel que os diretores querem agradar. E aí, é ponto para a Marvel também.

5 comentários:

Johnny Strangelove disse...

Quero e muito ver o novo Hulk ... Tentaremos ver em breve e ... In Norton I Trust!

Ice Ice Baby disse...

eu quero ver "how to lose friends and alienate people"!!! me diz se é bom antes?

fabiana disse...

Ice, ainda não tem data para estrear aqui, mas nos EUA é em outubro!

Alexandre disse...

Teve um Hulk (filme) anterior a esse né? Eu não gostei não. Quer dizer, vi pedaços do filme, mas do que vi eu não tive paciência.

Hulk pra mim é aquela série kitch dos anos 70. Esse Hulk digitalizado eu ainda não engoli.

Cecilia disse...

Quero ver. Estou com saudades do Edward Norton.