Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

As 7 regras do amor



Há quem diga que um gênero desgastado é a comédia romântica. Concordo em parte, muito pela qualidade dos filmes que tenho visto atualmente. Roteiros fracos, casais sem sal, trilha manjada e uma tonelada de clichês desnecessários. Mas, uma coisa eu tenho que admitir: é o gênero que mais me agrada nas telas, depois do drama.
Ok. Digam que é coisa de mulherzinha, mas, não posso evitar. São essas comédias leves e por vezes até bobocas que me fizeram entender muitas vezes, que o amor pode até não ser como nos contos de fadas, mas, bem que poderiam, não é mesmo? É por isso que não descarto esse tipo de filme na vídeo locadora. Algumas vezes me arrependo, mas, muitas vezes tenho gratas surpresas.
Então, passando pela prateleira de romances há algumas semanas, olhei com desprezinho para o filme 'As 7 regras do amor' (Lucky 7/EUA/2003), mas, por ter Patrick Dempsey no elenco, não achei que seria tanta perda de tempo assim (um dia ainda vou divagar sobre a importância do galã de comédia romântica no imaginário mulherzinha, mas, hoje não).
O filme de 2003, produzido para passar na TV, tem como protagonista uma atriz pouco conhecida chamada Kimberly Williams (ela foi a filha do Steve Martin em 'O Pai da noiva' e 'O Pai da noiva 2'). Ela dá vida a Amy, uma garota que perdeu a mãe aos 7 anos de idade e que passou a vida inteira seguindo um roteiro de vida esquematizado pela mãe: quando ir para o acampamento de verão, quando entrar para faculdade e até mesmo quando se apaixonar e se casar, que deveria ser com o 7º namorado. O que Amy não esperava é que, o namorado perfeito seria o nº 6, com o qual ela conclui ser o marido perfeito. Amy então elabora um plano para que o namorado nº 6 se torne o nº 7, e ela siga á risca o desejo de sua mãe.
A historinha bobinha, que já faz o expectador matar a charada logo de início, dá lugar a uma deliciosa comédia, com situações inusitadas e um casal central que funciona, mesmo com todos os clichês envolvidos.
É aquele tipo de filme que você sabe exatamente o que vai dar no final, mas é tão gostoso de ver que você nem liga e segue até o fim para se emocionar com as típicas cenas que marcam os momentos finais das comédias românticas, como a redenção e 'o encontro' do casal principal no fim do filme.
Amy poderia muito bem ser uma atriz conhecida do grande público (até imaginei a Isla Fisher no papel), mas o fato de ser um filme sem grandes pretenções (a sonoplastia por exemplo, é péssima) e feito exclusivamente para a TV, faz dele uma comédia romântica com todos os ingredientes necessários para agradar os amantes do gênero (as amantes, no caso).

Recomendo.

10 comentários:

Alexandre disse...

Eu não tenho um, tenho dois pés atrás com filmes feitos exclusivamente pra TV. E se for comédia romântica então..

Mas eu não sou tão chato assim. As vezes arrisco e gosto de algumas coisas que vejo.

Cecilia disse...

Comédias românticas são sempre bem vindas. Nem que seja para alimentar nosso lado mulherzinha.

Ainda mais se tem um macho bom. Tipo McDreamy.

Quéroul disse...

eu vou ler o post, gata.
mas tô aqui agora só pra dar oi, finalmente te linkar no meu bruógue (essa vida de net intermitente me mata!) e dizer que comentei ali no Top 10. assim, um comentário reclamão, CRARO!!!

mas tô na ativa, tamo na área, é nóis!

beijo e saudadona assim, ó!

Ice Ice Baby disse...

RAMONES Rulz chuchu!!!!!

Garota no hall disse...

Acho que vc iria gostar de Três vezes amor e Sem reservas (principalmente este último), coincidentemente ambos são com a fofa da Abigail Breslin.

cinefilapornatureza disse...

Como sou uma fã inveterada do gênero de comédia romântica, acho que vou gostar de assistir a este filme. O Patrick Dempsey é o galã perfeito para este tipo de história.

Rafael Carvalho disse...

Vixe, eu sou como o Alexandre aí em cima. Não sou muito chegado a filmes feitos para Tv. E de fato a comédia romântica é um gênero complicado. Muita coisa é feita mas poucos valem a pena. Mas às vezes aparecem algumas que valem a pena. Confiança sempre! Esse as 7 Regras do Amor não faz o meu tipo, mesmo.

Johnny Strangelove disse...

Filme romantico ... Desculpa Fabi ... mas isso não é meu departamento ...
Mas gostou ... então tá numa nice ...
Até mais

cinevita disse...

Interessante seu texto sobre o filme. Sempre o observei nas prateleiras mas nunca tive vontade de locá-lo. Quem sabe agora??

Ciao!

Cecília disse...

Olá!Acabei de conhecer seu blog,esse filme é um dos meus preferidos e gostei muito da sua crítica,por isso a postei no meu blog dando todos os devidos créditos e link do seu blog,passarei aqui sempre que possível.Parabéns!Blog perfeito!
Está aqui o post:
http://frasesmaisazuis.wordpress.com/2010/08/20/seven-lucky-as-7-regras-do-amor/

Obrigada!