Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Antes de Partir


Jack Nicholson e Morgan Freeman protagonizam essa história no mínimo, clichê. Edward Cole(Nicholson) é um milionário excêntrico gestor de hospitais que defende com unhas e dentes a obrigatoriedade nos hospitais que administra de no mínimo 2 leitos por quarto. E para não desonrar seu lema, Edward acaba dividindo o mesmo quarto com Carter Chambers (Freeman), um mecânico veterano que se encontra na mesma situação que Edward, já que também tem um câncer terminal.
Partindo desse ponto, já sabemos exatamente o que vai acontecer durante o filme. Primeiro, o choque de personalidades dos dois e até um estranhamento inicial que, por fim, vai culminar em aprendizado para ambos (clichê). Segundo, sabemos que no fim do filme ambos vão morrer. Terceiro, que Jack Nicholson vai interpretar a si mesmo (o fanfarrão excêntrico) e Morgan Freeman (o senhor comedido e sensato) idem.
É assim que os dois atores conduzem o filme, com pitadas de humor e sarcasmo como se estivessem lado a lado em um leito de hospital na vida real. Aquele joguinho de interpretação, como se em algum momento, entre uma piadinha e outra eles dessem uma piscadinha cúmplice no maior estilo piada interna.
No filme, Edward e Carter seguem uma lista de coisas para se fazer antes de morrer, que inclui, obviamente, coisas como: escalar o Himalaia, fazer uma tatuagem e pular de páraquedas. Tudo isso para no fim das contas, perceberem que o grande prazer da vida, consiste nas coisas simples, como estar perto de quem você ama.
Se você, assim como eu, não tinha mais nada para fazer no domingo à tarde e qualquer coisa que passasse no seu aparelho de DVD era lucro, não vai se importar de assistir 'Antes de Partir' até o fim. Afinal, nunca é demais ver Nicholson e Freeman em ação, mesmo que a história seja meia boca. No mais, se tiver alguma coisa mais interessante para ver, deixe esse filme naquela lista de espera, porque, nem as paisagens aéreas dos países que os personagens visitam, são algo digno de se ver, tamanha a cara de pau do photoshop.

8 comentários:

Garota no hall disse...

Realmente, as paisagens de fundo têm muita cara de Photoshop. O filme é bonzinho, dá para dar umas risadinhas.

Ice Ice Baby disse...

eu já disse q eu vi esse e gostei?

nao lembro...

Cecilia disse...

Realmnente, vale a pena pelo Jack e o Morgan, é gostoso vê-los em ação em qualquer momento. E, como sempre, passei o filme inteiro querendo abraçar o Morgan. E sim, é clichê, mas como você disse, tem domingos frios que se quer ver um filminho básico...

Porém, devo dizer. Assisti esse filme com minha mãe, sessentona e começando com as crises de "já estou velha, posso morrer a qualquer momento". Ela saiu da sala às lágrimas (coisa difícil, geralmente a chorona sou eu) e achando o filme sensacional. Então, talvez, há de considerar a possibilidade de que os mais senhores vão aproveitar bem mais esse filme do que nós, jovenzinhos e sem muita noção da vida. O que ficou claro não apenas na reação da patroa, como de todos os senhores presentes no cinema.

Alexandre disse...

Faz tempo que estou pra ver esse filme, e estava torcendo pra não ler algo nesse sentido sobre o dito. Dois grandes atores mal aproveitados num filme meia-boca.

Mas vamos lá, não vou desistir. Se der pra dar algumas risadas qndo não tiver mais nada pra fazer já está bom.

Rafael Carvalho disse...

Sabe que não achei tão ruim como pensava que seria? Mas no fim das contas, é um filme que não acrescenta muita coisa em nossas vidas.

Kamila disse...

"Antes de Partir" é o típico filme clichê, mas que funciona. Fiquei emocionada assistindo ao filme e acho que ele passa uma bela mensagem.

Cruela disse...

esse filme é perfeito.

Otavio Almeida disse...

Puxa, eu não gostei não. E olha que adoro esses dois atores. Bjs!