Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Fim dos Tempos





Mark Wahlberg é aquele tipo de ator que você espera ver em um papel de destaque em uma superprodução. Só que, na maioria das vezes ele é suplantado por outros personagens, como Leonardo di Caprio e em ´Os Infiltrados´ ou por macacos em ´Planeta dos Macacos`. É por isso que eu esperava um algo mais de Mark Wahlberg em Fim dos Tempos (The Happening/EUA/2008). É uma pena que, mais uma vez seu personagem foi suplantado, mas, dessa vez por um personagem digamos, não de carne e osso. No filme, um fenômeno sobrenatural abala as principais cidades norte americanas, onde em questão de minutos, pessoas são afetadas por uma espécie de toxina trazida pelo vento que faz com que o cérebro humano perca o senso de auto-preservação. Em meio a tudo isso, o professor de ciências vivido por Wahlberg, vive uma crise em seu casamento com a insossa Alma (Zooey Deschanel). E é buscando uma maneira de escaparem desse surto natural, que o casal vai se reencontrando e se entendendo. Uma coisa típica dos filmes catástrofe. O barato do filme é, de fato, esse inimigo que ninguém enxerga, e que, a cada ventania nos enche de medo e tensão. É uma pena que no fim das contas caia do discurso politicamente correto de ecologia e preservação do habitat natural do homem, um tema batido demais em tempos de aquecimento global. Digamos que o diretor M. Shyamalan, quis dar o seu recado, de uma maneira bem M. Shyamalan: fantasia versus realidade. E acostumados com o estilo do cineasta, esperamos um algo mais que simplesmente se perde entre uma cena de suicídio e outra ventania qualquer. É uma pena.
De qualquer forma, eu ainda espero um grande filme de Mark Wahlberg, sem que ele seja colocado em segundo plano por outro personagem. De carne e osso ou não.

Trailer:

3 comentários:

Rafael Carvalho disse...

Olá Fabiana, tudo bem?

Também gosto dos trabalhos do Mark Wahlberg, mas acho que o problema dele em Fim dos Tempos é mesmo a direção do Syamalan, parece que ele queria uma coisa mais light e acabou idiotizando seus personagens. Aliás o filme todo parace não saber pra onde ir e o espectador fica meio que perdido diante do filme. E se uma das cenas mais "angustiantes" põe os atores para fugir do vento, o que dizer do resto? Enfim, uma negação.

Outra coisa: gostei do seu blog, vou adicionar nos links lá do Moviola Digital e sempre que puder darei uma passada por aqui. Valeu!!!!

Renato Thibes disse...

boa sorte no blog novo!

Rafael Moreira disse...

Esse filme está para chegar Fabiana! E eu creio que seja "Max Payne". Eu também espero algo de M. Night Shyamalan, mas ele só anda pisando na bola ultimamente!

Abraço!

P.S. Seu blog tá ótimo, obrigado pelo link. Farei o mesmo! ;)