Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

sábado, 12 de março de 2011

O Discurso do Rei



Retratando uma parte da história que a maioria do público não conhecia (pelo menos eu e José Wilker), o diretor Tom Hooper, já carimbado por retratar a monarquia britânica na série televisiva Elizabeth I, conseguiu um feito: falar da trajetória do Rei gago de maneira simples, dinâmica e comovente. É difícil imaginar o Rei da Inglaterra, o homem mais poderoso do mundo como um sujeito inseguro.
Em uma performance comovente, Colin Firth (com seu Oscar merecido) faz do monarca britânico o Rei mais cativante que eu já vi.
Na linha ´coadjuvantes que roubam a cena´, chega Geofrey Rush, como o terapeuta Lionel Logue, com métodos nada ortodoxos que vai se tornar o braço direito do protagonista na sua luta contra a gagueira.
A amizade que o Rei e o plebeu desenvolvem, faz com que o público veja a realeza de outra forma, muito além dos escândalos (apesar deles estarem bem presentes no filme). A cena em que Lionel passa de terapeuta para amigo confidente no consultório é no mínimo paradoxal, porém, confere a nós uma intimidade com o personagem de Firth nunca antes retratada. É impossível não sentir pena do pobre (?) Bertie!
Helena Bonham Carter é um caso à parte. Finalmente consegui ver uma atuação digna dela que não fosse algum personagem excêntrico de Tim Burton! A esposa apoiadora do Rei também sofria, coitada, mas o que seria dele sem ela.
O filme tem uma fotagrafia linda, um roteiro que não é piegas e nem romantizado demais, uma luz e um enquadramento de câmera que favorecem a ação do filme. Sim, a trajetória do Rei gago tinha tudo para não empolgar uma ida ao cinema, mas, com tudo isso e ótima escolha de elenco, Tom Hooper conseguiu o que queria.
Não era meu preferido no Oscar, mas, tem seu mérito por ser um filme tão tocante! Sem contar que, Colin Firth, lindo de morrer na cerimônia recebendo seu prêmio foi um vislumbre!

6 comentários:

Dona Baratinha disse...

Como assim o léribi acabou? Que parte da história eu perdi? Passe lá no blog e conte-me tudo!!

Beijos

cinefilapornatureza disse...

"O Discurso do Rei" é um filme muito simpático e que oferece um retrato mais leve da Monarquia Inglesa. Só acho que não era para conquistar tantos Oscars....

Quéroul disse...

eu gosto. adorei Colin Firth e achei excelente ele ter ganho o Oscar. mas até hoje não me conformo com o Hooper levando de melhor diretor, aquele boboca. :/

Garota no hall disse...

Sou uma das poucas pessoas que achou esse filme melhor do que Cisne Negro. Culpa do Colin? Não... OK, também... rs

Andressa disse...

Filme e atores perfeitos.

Película Criativa disse...

Adorei "O Discurso do Rei". O roteiro é excelente, divertido e comovente. E também, o trio de atores deu um show de interpretação.