Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Nossa vida sem Grace




Stanley Philips (John Cusack) é um pai de família que sempre sonhou em servir o seu país, mas foi dispensado do exército por usar óculos. Sua esposa Grace, por outro lado, foi convocada para servir no Iraque, deixando para trás o marido e as duas filhas, obrigando Stanley a criar sozinho as duas meninas. Quando tragicamente Grace morre em combate, Stanley embarca em uma viagem rumo a um parque de diversões, sabendo que, a diversão não vai durar pra sempre, mas que pode ser o único jeito de encontrar as palavras certas para contar o ocorrido às filhas.
John Cusack (cada vez mais parecido com Kevin Spacey) não deixa a desejar em um personagem diferente de todos os outros que ele coleciona ao longo da carreira. O Stanley Philips de Cusack é triste e deprimido, um retrato da frustração e falta de expectativas de um homem que não conseguiu atingir seus objetivos na vida. O roteiro e direção acertados de James C. Strouse e a trilha de (olha) Clint Eastwood fazem do filme muito mais que um filme sobre perda e recomeço, ou alguma crítica à guerra no Iraque. Isso porque, Grace, que só conhecemos pela voz na mensagem da secretária eletrônica, é quase que onipresente em todo o filme e exerce uma influência tão grande na vida dos personagens que até para nós, expectadores, fica difícil imaginar a vida de Stanley e sua filhas sem essa mulher marcante.
‘Nossa vida sem Grace’ (Grace is gone/2007) divide opiniões. Há quem diga que o filme segue à risca a fórmula para emocionar o público. Mas, se a intenção era seguir fórmulas, taí uma fórmula que funcionou comigo. Personagens consistentes, trilha bem feita e um desfecho que faz o personagem central crescer. Foi impossível não me emocionar...

Trailer:


2 comentários:

Cristina disse...

Eu suponho que esse personagem do Cusack seja um pouco parecido com o de "Ensinando a viver". Ele é um grande ator e ainda está melhorando enqto amadurece (pra não dizer envelhece rs).

Garota no hall disse...

Não gostei dos últimos filmes do Cusack que vi, mas vou dar uma chance a ele por esse daí.