Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Rede de Mentiras



Rede de Mentiras (Body of Lies/EUA/2008) não traz nada de novo para os filmes do gênero, mas é competente naquilo que promete: muita ação, cenas eletrizantes e um ritmo frenético que prende do início ao fim.
Roger Ferris (Leonardo Di Caprio) é um agente do serviço secreto americano que realiza o chamado ‘trabalho em campo’, caçando células terroristas ao redor do mundo. Seu mandante na Cia é o veterano Ed Hoffman (Russell Crowe), um sujeito sangue frio que comanda à distância, todas as operações de Ferris pelo celular ou usando todas aquelas parafernálias tecnológicas que as produções americanas adoram mostrar.
Quando Ferris passa a trabalhar em conjunto com o serviço secreto da Jordânia, liderado pelo agente Hani (o excelente Mark Strong, de Syriana), a caça a um terrorista responsável por uma série de ataques nas principais cidade européias, coloca em xeque a relação profissional de Ferris e Hoffman.
Leonardo Di Caprio e Russell Crowe estão excelentes como sempre, mas, quem rouba a cena é o agente Hani, que de coadjuvante passa a ser uma das peças centrais da trama.
Ridley Scott conseguiu explorar um pouco dos dois lados da luta contra o terrorismo mundial e nos mostra que, caminhos e visões diferentes, podem perfeitamente alcançar um mesmo objetivo.
Um triller inteligente e bem costurado, fácil de entender e que ao mesmo tempo surpreende o público com a reviravolta final.
E cada vez eu gosto mais do Leonardo Di Caprio! Um ator que, apesar de ainda não ostentar a estatueta dourada, considero um dos melhores de sua geração. Sem contar que, finalmente ele abandonou aquela carinha de bebê chorão e se tornou um homem de verdade. E que homem, ui!

Trailer:

5 comentários:

Robson Saldanha disse...

São tantos os filmes que prometem açao e não cumprem. Mas parece que esse consegue isso. Primeira boa nota que vejo para ele mas vou esperar pelo DVD

cinevita disse...

Eu já esperava algo assim do filme mesmo, apesar das críticas. Mas eu queria mesmo é ser surpreendido por Scott, que não me surpreende faz muito tempo. O filme foi criticado, mas ainda acho que vou gostar, principalmente pela dupla excelente de atores.

Ciao!

Alexandre disse...

Estou pra ver no cinema. Gosto dos filmes do Ridley Scott. :)

Cecilia disse...

Acredito que o Leo (é hábito antigo chamá-lo assim) é uma das maiores transformações do cinema. Não apenas no físico que, como você mesma disse, passou de molequinho para hômi, como também no talento, que só cresce. Claro que este último não é nenhuma surpresa (vide "Gilbert Grape", quando ele era somente um pivete), mas, por causa de toda a coisa de ídolo adolescente, ele precisou se esforçar ainda mais para mostrar ao que veio. E que bom que ele prossegue mostrando.


PS: E eu, como fã boba da época-Jack, sinto um orgulho quase materno quando vejo seus filmes pós30 anos. =P

Garota no hall disse...

Esse está na lista, o último do Ridley Scott com o Russell Crowe (O Gangster) gostei bastante.