Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Penetras bons de bico



Ontem ao assistir o famigerado 'Penetras bons de bico' (Wedding Crashers/EUA/2005), constatei que: 1) Owen Wilson é o homem mais feio de Hollywood; 2) Vince Vaughn é o troglodita mais cansativo dos grandes estúdios, e ainda por cima é a cara do Ernani Morais. Socorro, mãe! Durante alguns anos, passei pela prateleira da vídeo-locadora e olhava com desprezo (literalmente) para essa comédia, e, Meu Deus, porque não continuei desprezando-a com todas as minhas forças! Ontem, porém, movida por um impulso (graças a Deus não frequente) de 'vamos ver, de repente é engraçado', finalmente assisti a fita, muito pela presença de Isla Fisher, que eu adoro e Rachel McAdans: as mocinhas bonitas que conquistam os corações dos dois senhores mencionados acima. No filme, Jeremy (Vaughn) e John (Wilson) são dois amigos de longa data que trabalham juntos e tem como diversão, irem a festas de casamento sem serem convidados, ou seja, os famosos penetras. A intenção, é se aproveitarem das mulheres solteiras presentes no local que estão, digamos assim, entusiasmadas com o evento e se tornam alvo fácil para o objetivo principal dos moços: cama.Tudo muda (claro), quando os dois amigos penetram na festa de casamento de uma das filhas de um influente político local e um deles se apaixona.
É inegável a química dos dois atores, mas, o filme nem é grande coisa. É previsível e as piadas prontas e caras e bocas da dupla não empolgam.Sem contar que, Owen Wilson tem muito talento para comédia, mas, quando o romance entra em cena, ele fica mais perdido que cego em tiroteio. Um verdadeiro desperdício de tempo.

-----------------------------------------------------------------------------------

Jogo do amor



Mais uma comédia romântica chatinha no mundo dos DVD's. Jason Priestley, o eterno Brendon Wash da série televisiva 'Barrados no baile', é Ryan Banks, um ator que caiu no ostracismo (oi? Vida real?) que vê num reality show a chance de voltar ao estrelato. No programa, produzido por seu melhor amigo e empresário, o público vai escolher a namorada ideal para ele se casar. Só que, o que ele não contava, é que a moça mais votada pelo público e seu melhor amigo se apaixonariam, comprometendo o objetivo do programa, que é dar um UP na sua carreira decadente.
Olha, quando eu digo que assisto filmes pelo simples fato de admirar a sétima arte, independente da história, dos atores e tal (com algumas exceções, claro), é desse tipo de coisa que eu estou falando. Muitas vezes, pressinto um filme bomba, mas, o que toma conta de mim quando estou na vídeo-locadora e percebo que já assisti todos os filmes que me alcançam a vista, me impedem de pensar racionalmente e eu acabo por levar algum lixo pra casa.
'Jogo do amor' (I Want to Marry Ryan Banks/ EUA/Canadá/2004) é esse tipo de filme. Nem vale pela nostalgia de rever Jason Priestley, muito menos pelo historinha boba, que, em alguns casos até se redime com um final bonitinho. O casal central é até bacana, mas, faltou alguma coisa, talvez na direção dos atores ou no roteiro que acabou dando um quê de 'filme feito para tv'. Portanto, é uma comédia romântica bem dispensável.

4 comentários:

Robson Saldanha disse...

Sinceramente? nenhum dos dois filmes me interessam... hehehe

Nespoli disse...

Eu nem vi esse tal "Jogo do Amor", mas vou pagar de defensor aqui do "Penetras bons de bico", é um filme muito idiota, porém muito engraçado. Aquele tipo de piada americana e machista, mas que você tem que ver com essas pretensões. E Will Ferrel é um dos caras mais engraçados de todos...

Garota no hall disse...

Ah, eu curto o Vince Vaughn... hahaha! "Penetras..." é um filme engraçado, mas é muito longo e cansativo. Vi uma vez, no cinema, e me diverti. Mas vai de gosto, eu achei "O virgem de 40 anos" idiota, mas tem muita gente que riu.

Johnny Strangelove disse...

O Bibi ...
Curti tanto Penetras Bom de Bico e na época ninguem ligava pro filme ...
Eu gosto dele e principalmente quando aparece em uma cameo escrota Will Farrell que consegue introduzir no longa o melhor momento.

Abraços ...