Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Margot e o casamento


As relações familiares podem ser complicadas e verborragia familiar em muitos casos não levam a lugar algum. Assim Noah Baumbach deixa transparecer em seu 'Margot e o casamento' (Margot at the wedding/EUA/ 2007).
Margot (Nicole Kidman) e Pauline (Jennifer Jason Leigh) são duas irmãs que tem um relacionamento complicado, uma vez que Margot insiste em sabotar (verbalmente, que fique claro) a vida amorosa de Pauline, e Pauline, por sua vez se conforma em ser completamente omissa aos 'atentados' da irmã.
Apesar de ainda tratar de questões familiares, o diretor de 'A lula e a baleia', expõe as feridas marcadas por anos de desacordo entre Pauline e Margot, de maneira tão sutil (tanto que nada é revelado a respeito do passado familiar das duas personagens, a não ser o fato de terem sido maltratadas pelo pai e se odiarem/ se amarem mutuamente) e ao mesmo tempo tão explícitamente (diálogos cruéis), que faz o expectador se envolver a tal ponto que nem interessa saber de muitos detalhes da vida delas.
A dupla Kidman/Jason Leigh também contribuem para que o isso dê certo. Estão em total sintonia no filme, até estão parecidas fisicamente.
Jack Black (o noivo de Pauline) é um achado, pois é a personificação de tudo o que Margot abomina em um homem, e principalmente por ser este o homem que irá se casar com a sua irmã. A presença de Jack Black é tão surreal que ficamos igualmente aterrorizados, afinal, Pauline é tão surpreendentemente interessante que, de fato, merecia coisa melhor.
Em suma, o filme retrata as questões familiares sem rodeios. E os diálogos cruéis (como já disse), mesmo que não levem a lugar algum, são libertadores, de alguma forma para os personagens.
E é sempre bom ver retratado nas telas, um pouco mais de honestidade e vida real, sem cair no clichê 'família feliz que se ama mutuamente apesar dos problemas', porque, nem sempre a vida é assim.

6 comentários:

cinevita disse...

Adorei seu texto, Fabiana. Alias, o que para mim fez deste filme uma grande obra foi justamente a cortante honestidade ao retratar a vida como ela é, nem sempre cheia de floreios e redenções. É a coragem do cineasta em deixar seu filme tão cruel quanto é real, deixando seus personagens em vezes irritantes, pelo bem da autênticidade. Nicole Kidman, por sua vez, faz um belíssimo trabalho.

4 estrelas.

Ciao!

Robson Saldanha disse...

Eu ainda naõ tive a oportunidade de ver esse filme, apesar de muito ouvir falar sobre ele! Alguns gostam e outros nem tanto, adoro filmes que têm isso!

Obrigado pelo link!

Garota no hall disse...

Não sou fã da Kidman (prefiro bem mais a Leigh), mas ela está ótima no filme. Margot é uma das minhas personagens preferidas do cinema dos últimos cinco anos, porque ela não é má nem boazinha - é apenas "normal".

cinefilapornatureza disse...

Fabiana, eu acho que o elemento mais positivo de "Margot e o Casamento" são as atuações de Jennifer Jason Leigh e Nicole Kidman. No mais, acho que o roteiro de Noah Baumbach não chega aos pés do trabalho que ele fez em "A Lula e a Baleia".

Nespoli disse...

É um filme que eu tenho muita curiosidade, mas ainda n tive a oportunidade... No mais, vim retribuir a visita e já tá no meu reader, rs...

O Cara da Locadora

Sunflower disse...

PQP, amei o filme, tive crises de riso e nem sabia pq.

A Lula e a Balei tb é excelente, comprei ele ORIGINAL por 2,99.

Há.

vc não era tipo a pessoa mais famosa do mundo ocidental em 1985?

beijas