Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Ensinando a viver


Em primeiro lugar eu preciso confessar uma coisa: eu assisto qualquer coisa com o John Cusack. Q-U-A-L-Q-U-E-R C-O-I-S-A! E vamos combinar que, de uns tempos pra cá os filmes que ele tem feito não são, assim, obras primas cinematográficas. Mas, vamos ao filme.
Em ´Ensinando a viver´ (The Martian Child/EUA/2007), John Cusack é David Gordon (oi? Alta Fidelidade?), um jovem viúvo que decide adotar uma criança. Mas, não uma criança qualquer. Por ser um escritor de contos de ficção científica, Gordon acaba se interessando justamente por um garotinho estranho que acredita ser um marciano. Completamente perdido com a nova missão, a de ser pai, Gordon tenta a todo custo trazer o garotinho de volta à realidade e provar que ele pode ser a família que o garoto nunca teve.
O tema é bem clichê, e como disse acima, de uns tempos pra cá não vemos muita coisa interessante na carreira de John Cusack, mas o filme não é de todo desprezível.
Tirando o garotinho estreante Bobby Coleman (um ruivinho encantador, que realmente nos faz acreditar que ele seja um ser de outro planeta, mas que no final das contas se torna um garoto por demais chatinho), é John Cusack, dotado de um carisma natural, que segura a bola e dá aquele tom cômico, de seus tipos desastrados de filmes anteriores. É um tipo que só ele faz sem ser cansativo e repetitivo. O restante do elenco e histórias paralelas é dispensável, incluindo um semi-romance com Amanda Peet.
De qualquer forma, vale a pena por ter John Cusack e pela trilha sonora bonitinha. Não vai acrescentar muita coisa na vida de ninguém, mas, pode ser uma opção naquele dia em que nada te agrada na vídeo-locadora.

Trailer:

7 comentários:

cinefilapornatureza disse...

Fabiana, dos filmes do John Cusack lançados, em 2007, o que eu tenho mais curiosidade em assistir é "Grace is Gone", mas este "Ensinando a Viver" parece ser um filme bem bonitinho.

Ice Ice Baby disse...

Fabiiiiiiiiiiii, tô indo ver Shortbus agora. Lembrei de vc!!!

bjs chuchu

Cecilia disse...

John Cusack? Tá valendo. Sou como você - qualquer coisinha que ele faz, estou assistindo. Até aquela bobagem de "Procura-se um amor que gosta de cachorros". É só tendo muito amor no coração para agüentar Diane Lane protagonista.

fabiana disse...

Muito amor no coração e estômago para ver o Cusack babando por ela!

cinevita disse...

É um filme bem meia boca. Às vezes senti que não conseguia expressas os sentimentos da forma mais genuína e nunca de forma impactante. Tem seus méritos, mas é fraquinho. Mas Cusack é mesmo indispensável.

Já Sangue Negro é a obra-prima ultimata do ano! Eita filme perfeito do caramba.

Ciao!

Alexandre disse...

Na lista. :)

Rafael Carvalho disse...

Não sou dos maiores fãs do Cusack, não. Muito menos da Amanda Peet. E com esse título, o filme parece mais aquele dramazinho com lição de moral. Posso estar completamente enganado, mas penso muito antes de ver um filme assim.