Porque, todo filme é bom, o que atrapalha é a crítica. Ou não?

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Um beijo roubado


Em primeiro lugar, gostaria de deixar registrado aqui minha indignação com a tradução (?) adaptação (?) que seja, do título original do filme de Wong Kar-Wai. 'Um beijo roubado' (My Blueberry Nights /2007) é, no mínimo, uma tentativa de despertar a curiosidade daquela parcela do público que obviamente desconhece o trabalho desse grande diretor. Ok. A cena do beijo foi muito comentada e aguardada, mas a coisa não é bem por aí.
No primeiro filme inglês do diretor, Norah Jones dá vida a Elizabeth, uma jovem que depois de levar um chute do namorado, conhece um charmoso dono de bar Jeremy (Jude Law) e com ele, divide suas angústias todas as noites saboreando um pedaço de torta de blueberry com sorvete. Não satisfeita com a sua vida, Elizabeth sai pelo país em busca de um sentido para sua vida, conhecendo pessoas diferentes e se auto-descobrindo. Entre esses ilustres desconhecidos, um policial (David Strathairn) que é obsecado pela ex-mulher (Rachel Weisz), e uma jovem jogadora de pôquer (Natalie Portman).
O estilo de direção de Wong Kar-Wai sempre me agradou, além das trilhas perfeitas dos seus filmes. Em 'Um beijo roubado' não é diferente. Apesar de ser protagonizado pela estreante (porém promissora) Norah Jones, o filme conta com um elenco classe A, que garante diálogos inteligentes e cenas marcantes, embalados por uma trilha que inclui a própria Norah, além de Cat Power (que também faz uma participação no filme) e Cassandra Wilson. E muito mais que o beijo roubado que deu nome ao título em português, o filme encanta mais pela 'simplicidade' dos personagens de Elizabeth e de seu confidente desconhecido Jeremy. A cena do beijo no balcão é apenas um detalhe, encantador, mas ainda assim um detalhe. É lamentável que esse filme tenha passado tão despercebido pelo circuito de BH.
'Um beijo roubado' é bonito e encantador na medida certa.

Trailer:

12 comentários:

Kamila disse...

"Um Beijo Roubado" não é aquele filme maravilhoso, mas tem mesmo seu encanto. Acho que a Norah Jones tem talento para ser atriz e o diretor acertou ao colocar o foco em atores mais experientes, que interpretam as pessoas que a personagem da Jones encontra na sua viagem.

Bom final de semana!

Alexandre disse...

Eu tô doidão pra ver esse filme. Aliás, perdi a oportunidade de vê-lo em SP. Quem sabe depois de deixar meu voto na urna eu não consiga achá-lo em algum lugar.

Alexandre disse...

Quer dizer, espero que ainda esteja em cartaz nas bibocas indies-cult-movies da cidade da garoa.

Johnny Strangelove disse...

Eu adorei ...
Belo em todos os momentos ... Estava no pareo para ser um dos melhores filmes do ano ... mas já foi ultrapassado ... mas por descargo de conciencia ...

http://strangelovebloger.blogspot.com/2008/02/um-beijo-roubado-my-blueberry-nights.html

abraços

Ånderson disse...

a criatividade dos "tradutores de títulos" para o lançamento no Brasil sempre me impressionam... mas a sua postagem, em especial, me lembrou de "Blow Up", do Antonioni, que lançaram aqui como "Depois daquele beijo"... assim como nesse filme que vc. fala (que eu não assisti ainda), a cena do beijo é um detalhe.

Rafael Carvalho disse...

Depois de Amor à Flor da Pele e 2046 virei incondicional do Kar Wai. O cara é podre de romântico, mas tem um estilo primorosíssimo. Nessa primeira incursão na carreira internacional ele se deu muito bem nuna história bastante original e repleta de ótimos momentos, não só a cena do beijo, mas o embate final dos personagens de David Strathairn e Rachel Weisz (IT'S OVEEEEEER"). Rachel Weisz inclusive está maravilhosa em cena, como sempre. Mas confesso que não me agradou muito o trabalho da Norah Jones, embora não comprometa o filme.

CiNe ViTa disse...

O seu comentário foi um dos mais positivos que li acerca do filme até agora. Nem todos o receberam bem. Estou atrás dele faz muito tempo. Espero encontrar em breve...

E Ensaio Sobre a Cegueira é mesmo um filme muito bom e admirável.

Ciao! (Wally, Cine Vita)

Rafael Moreira disse...

Somos dois Fabiana ao concordarmos em quase tudo do filme, até a cotação... Eu não gostei da tradução do título em português. O filme está repleto de boas atuações (com exceção a Jude Law, que está meio apagado). Norah Jones está fantástica, mas eu destacaria mais Rachel Weisz...

Abraço e um bom final de semana!

Quéroul disse...

mas nunca que eu ia ver com Norah Jones e Jude Law...
mas tem o Strathairn, a Weisz e a Portman???

pode não ser o lixo que eu pensei...

* pra listinha de novembro...*

fabiana disse...

Kamila, exatamente!

Alexandre, o filme já está nas locadoras, quem sabe você dá sorte!

Johnny, não é o melhor filme do ano, mas entra fácil no meu TOP 10!

Andersom, eu tenho esse problema com as traduções toscas dos filmes também, essa mania de traduzir o intraduzível!

Rafael, Amor à flor da pele é um dos meus filmes favoritos! Como Kar-Wai consegue traduzir o amor de uma maneira tão sutil e delicada? Me explica?!

Wally, assista Um beijo roubado e diga o que achou.

Rafael, eu não achei a Norah fantástica, mas, a personagem caiu como uma luva, e o diretor fez bem em escalar um elenco competente para dar mais peso ao filme. Kar-Wai é gênio!

Quéroul, sem má vontade com o Jude Law que é um tudo nesse filme, ok?

Garota no hall disse...

O único do Kar-Wai que assisti foi Amor à flor pele, vc viu? É um filme único.

gustavo disse...

um filme encantador mesmo !
lindo de se ver e ouvir....

mas nao consigo imaginar um título em português pro filme...